Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas e Logística do Sul de Santa Catarina
phone_1_icon&16

 (48) 3437-4535 | (48) 3433-5579

FÓRUM SUL DE DESENVOLVIMENTO: PRESIDENTE DA FETRANCESC APRESENTA NÚMEROS E IMPORTÂNCIA DO TRC PARA A ECONOMIA

Comment are off

WhatsApp-Image-2018-09-19-at-09.01.55-450x600“100% do que é produzido passa, necessariamente, pelo Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil”, afirmou o presidente da Fetrancesc, Ari Rabaiolli, em painel do 1º Fórum Sul de Desenvolvimento de Negócios, em Criciúma. O líder do Transporte Rodoviário de Cargas (TRC) de Santa Catarina falou sobre o segmento e a importância para a economia do Estado e do País. O evento teve o propósito de colocar em evidência as potencialidades e alavancar oportunidades para o desenvolvimento de negócios atrativos aos investidores, sejam eles locais, regionais, nacionais ou internacionais.

Ainda, que “estes negócios sejam balizados pelos princípios da convergência nos objetivos, da conectividade nas soluções e na disruptura nos modelos de negócios”, comentou a organizadora do Fórum, Natália Martins Gonçalves.

Rabaiolli falou que, embora a participação do modal rodoviário represente 63,7% da participação no Brasil, “o que sai do campo para a indústria, por exemplo, por mais que seja transportado por navios, precisa do caminhão para ir do campo ao porto”.

Ele também apontou que o ferroviário corresponde a 20,7% do total da participação dos modais no País, seguido do aquaviário, com 11,3%, dutoviário, com 3,7%, e aéreo, com 0,3%. Além disso, destacou que o Brasil é o sexto no ranking dos que mais usam as rodovias para o transporte de cargas, ficando atrás apenas da Itália (88,95%), Holanda (75,49%), França (72,44%), Inglaterra (66,6%) e Bélgica (65,31%).

Idade média das frotas – As empresas do TRC no Brasil são as que tem frotas mais recentes, segundo dados da ANTT apontados por Ari Rabaiolli no Fórum. Os veículos das transportadoras têm, em média, 9,3 anos. Em contrapartida, os autônomos têm caminhões com cerca de 16,3 anos. No centro destes dados estão as cooperativas de transporte, com frotas de 11,8 anos.

Faturamento do TRC – Rabaiolli apontou que o faturamento do TRC corresponde a R$ 352,8 bilhões, o equivalente a 6,3% do Produto Interno Bruto (PIB). Em paralelo a isso, o logístico é de R$ 737,1 bilhões, representando 11,7% do PIB. Estes números estão diretamente ligados aos mais de 5 milhões de empregos diretos gerados pelo setor, que tem um consumo de 41 bilhões de litros de diesel por ano.

Mais de 17 mil empresas em SC – O Transporte Rodoviário de Cargas de Santa Catarina tem mais de 17 mil empresas registradas, segundo dados da Secretaria de Estado da Fazenda, relatados pelo presidente da Fetrancesc, Ari Rabaiolli. Também são 29 cooperativas de transporte. Deste total, há mais de 100 mil empregos diretos somente em solo catarinense.

O setor no Estado – Ari Rabaiolli aproveitou a oportunidade para falar dos sindicatos filiados à Fetrancesc, especialmente do Setransc, também parceiro do evento, 12ª cidade no ranking das que têm o maior número de empresas do setor em SC. Ele também pontuou as Unidades do SEST SENAT no Estado e a gratuidade dos serviços oferecidos aos trabalhadores em transporte e seus familiares. Além disso, o líder do TRC/SC apresentou a Transpocred, única cooperativa de crédito do segmento que atende à Região Sul do Brasil.

Fetrancesc, o Setransc e a Transpocred foram parceiros do 1º Fórum Sul de Desenvolvimento de Negócios.

Fonte: Imprensa Fetrancesc

fbbe609f-4b3d-454b-a186-584d4912eb56

About the Author